Tinha um bêbado no meio do caminho ao volante


Ontem, por volta, das 17h40, quando sai do trabalho tinha planos. Iria caminhar, o tanto meu que meu joelho e coluna comprometidos me permitissem, iria ao food truck de uma amiga comer algo e prestigiá-la e depois iria para casa assistir aos primeiros episódios das minhas séries favoritas. Mas no meio do caminho tinha um bêbado ao volante que estava dirigindo a mais de 100km/h em uma pista que é permitido apenas 70km/h.
Eu dirigia entre 50 e 60km/h, pois queria pegar a onda verde. Sempre pego, é legal, seguro. Acho que foi uma das melhores coisas que inventaram no trânsito da Teotônio Segurado, Quando percebi que não iria conseguir, pois o sinal havia ficado amarelo, fui freando aos poucos visando parar no vermelho, seria a primeira na fila de carro a espera do sinal abrir.
Entretanto, só lembro do barulho, a pancada e meu corpo sendo projetado para frente e para trás. Senti que meu ombro e cabeça bateram em algo, senti que ia desmaiar, mas pensei: tenho que ser forte, tenho que anotar a placa de quem fez isto, e devagar sai do carro, meio cambaleante, qual não foi a minha surpresa, ver que eles haviam fugido e já haviam pegado a direita do sinaleiro, fugindo, sem dar assistência .
De imediato, mesmo meio tonta, comecei a gritar para que o seguissem, que estavam fugindo, e quem tá escondendo algo, mas descobri da pior maneira possível, que as pessoas são frias, elas não param, apenas querem seguir seu caminho.
Alguns minutos depois, um rapaz chegou para me ajudar, a colocar o triângulo, conduzir o trânsito e depois mais dois rapazes, que tiraram fotos do carro a meu pedido, porque meu celular é top, mas não tira foto que presta (caiu no chão e arranhou a câmera). Logo depois chegou o pessoal da ATTM para conduzir o trânsito, lavrar o B.O.
E Deus é bom, porque atrás de mim, no trânsito, pouco antes do acidente, havia uma guarda metropolitano que não estava em serviço, mas seguiu seus instintos e foi atrás do carro que evadira do local. Conseguiu anotar a placa, chamar 190 e colegas de trabalho. O cara que bateu, ao lado de outro, estavam visivelmente bêbados e violentos, foram conduzidos a delegacia. Segundo o Guarda, Carlos, que os seguia, já estavam dirigindo perigosamente há algum tempo, quase batendo em outros carros, mas fui a premiada.
E só o que consigo lembrar é que eles diziam que não havia sido acidente, que não havia sido bem assim, tipo a culpa havia sido minha. E quase nem consegui acreditar quando vi, que o colega do cara que dirigia, enquanto aguardava depor, havia ido a um bar próximo, comprado e cerveja e bebia tranquilamente a pouco mais de 100 metros da porta da delegacia.
O que sei, é que tudo isto não vai dar em nada, eles se recusaram a fazer o teste bafômetro, porque nas nossas leis eles têm que ser convidados, não podem ser obrigados; arrumaram dinheiro, pagaram a fiança mixa ( um salário mínimo), uma multa de 2.900 (que considero mixa), teve a carteira retida e pronto, fiquei no prejuízo. Se quiser receber pelos estragos do carro, terei que entrar na justiça e correndo o risco de me retaliarem.
E com esta narrativa, quero dizer que uma em cada 20 mortes no mundo está diretamente relacionada ao consumo de álcool, droga lícita que mata mais do que a Aids, a tuberculose e a violência juntos, adverte a Organização Mundial de Saúde (OMS), que teme um agravamento da situação. O uso nocivo do álcool matou milhões de pessoas em todo o mundo. Também sei que ao meu lado estiveram dois grandes amigos, que foram me socorrer, me dar apoio, e só me deixaram, quando sai da delegacia. A eles meu obrigado.
Sob a influência de álcool provoca um grande número de acidentes fatais todos os dias. Pesquisas apontam que entre 40% e 60% dos acidentes estão relacionados ao consumo de álcool.
Mas por outro lado as leis do Brasil são brandas com quem dirige alcoolizado, deveriam ser mais duras.
Ontem esse cara, que nem sei o nome, colocou a minha vida, e a de várias pessoas em risco, por sua irresponsabilidade. Poderia ter sido uma criança a ser atropelada, poderia ter sido pior.
Que nossos representantes deixem de ser menos corruptos e trabalhem em prol de leis que façam o nosso trânsito mais tranquilo, que tenhamos qualidade de vida, que tenhamos saúde. Que tenhamos uma sociedade, um Brasil melhor.

Anúncios

Negociável

Da mesma forma que eu gosto com intensidade, amo com paixão, me preocupo sem razão, posso dizer que também deixo de gostar, de amar, de preocupar. E se isto acontecer entre nós (seja qual for o grau de proximidade, desde família, amigos ou mesmo amores) não se preocupe sofro nos primeiros dias, pois nos restantes dos dias da minha vida vou cuidar de ser feliz sem você e nunca mais te procurar. Então, se não quer que isto aconteça, não minta (principal requisto) porque o resto é negociável.
De Inez Freitas

 

Maldade Humana

Achei que já estivesse acostumada com a maldade humana.  Mas não. Estou chocada e surpresa até onde pode ir uma pessoa que é má pelo simples fato de ser má. Travestida em pele de cordeiro, circulando pela sociedade, se fazendo de boazinha e tudo isto para quê? Para dar o bote e na hora que lhe acha conveniente.

Não vou dizer que sinto por esta pessoa. Jamais. Ela está cavando a própria cova, seja entre os homens, ou com a justiça divina.

Maldade por maldade não leva lugar algum. Muito pelo contrário. Mata, porque a pessoa irá morrer lentamente e com o próprio veneno e ser enterrada na cova que ela própria abriu para si.

A ela só peço que Deus tenha piedade.