Você que nunca me teve e nem eu a ti

Para escrever seja crônica ou poema, eu preciso sentir tesão, paixão, amor, ódio, raiva, chorar, sorrir. Enfim sentir. E este eu dedico a uma pessoa especial que nunca nos tivemos e jamais nos teremos.

By Inez Freitas

Quando te vi pela primeira vez
Mal olhei pra ti, afinal
Sua altura não permitia
E eu irritada comecei a
Falar sem parar, olhando
Para o infinito,
Tentando te enxergar

Inexplicavelmente não sabia
O que estava sentindo
Ao mesmo tempo
Queria estar perto
E no mesmo instante longe

Senti que já ias
E que te perderias
Rapidamente peguei
Papel e caneta
Meu telefone te repassei.

Esperei,
E na angústia da espera
O medo foi se infiltrando
E o desejo me consumindo
Foi quando ligastes
Mas era tarde,
Já tinha em mãos uma covarde

Meses se passaram
Nunca mais te vi
Mas sempre nos falando
E nada se resolvia
Era o medo infiltrado
Acima do desejo sentido por ti

Do tipo quando encostastes
Em mim e eu nada percebi
E depois comentastes comigo.
Naquele momento senti meu
Mundo parar, pois o que mais

Desejava havia conseguido
Mesmo que de leve
Entretanto, não havia sentido: teu corpo

Hoje que o desejo superou o medo
És tu que me renegas, que não podes
O que fazer com fato de que
Nunca me tivestes e nem eu a ti.

Guardar este desejo em um baú
E esquecer que você existe!

Anúncios

3 pensamentos sobre “Você que nunca me teve e nem eu a ti

  1. Amiga, a cada crônica ou poema(ficam melhor quando o coração está ”sangrando”),
    postarei um texto que mais se aproxime dos teus sentimentos.

    Muito se fala das mulheres que graças aos seus mares de hormônios estão sujeitas a alterações e imprevisibilidades, critica-se suas mudanças súbitas de humores, como na canção “La donna è móbile”da Opera de Verdi “Rigoletto”. (A mulher é móvel/Como pluma ao vento/Muda de acento/E de pensamento.). Porém o homem embora pareça ser mais equilibrado é na verdade ele o inesperado.A mulher muda de humores, mas os homens mudam de opinião. Há sempre um sim dentro do não de uma mulher, mas há sempre um não escondido num sim de um homem.

  2. Quem perde se encontra.
    Quem se encontra perde.
    Rotina de desencontros.
    Rotina de solidão.
    Desejo não é ordem.
    Não se ordena desejos.
    Ontem você não queria.
    Hoje ele não podia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s