Amor platônico

O poema atende aos leitores Fernanda Capelesso e Eduardo Ribeiro, que sempre nos acompanha no twitter. Espero ter correspondido a expectativa deles. E também atende a um recente desejo meu de falar sobre o tema.

Por Inez Freitas

Teus belos olhos castanhos
Teus lábios que sonho em beijar
Teus cabelos em acariciar
Teu corpo no meu se encontrar
Você  menino (a)
Com quem desejo estar
Você que sempre
De longe  admiro

Nem imagina que existo
Nem sonha
Os sentimentos que por ti tenho
Você que é o objeto do meu amor
Você perfeito, cheio de qualidades
E  sem máculas.
E que a foto carrego em minha bolsa
Confesso é um amor à distância,
Que não deixa que eu me aproxime

Que te toque, que te envolva
São apenas  fantasias minhas
Idealização de um amor puro
É  a fuga da minha realidade
Querer-te,  idealizar-te
E assim o tempo corre
E  vou da loucura à fantasia
Mas seria loucura querer-te?

Apenas por um dia?
Por algumas horas sair da fantasia
E este amor platônico
Virar realidade?
E de ser a única em seu coração?
Mas não me olhas
E este amor não tem cura.
Com o tempo piora.
Pois nunca terei coragem
De a você me declarar

Anúncios

21 pensamentos sobre “Amor platônico

  1. Seus textos sempre lindos e emocionantes… Mais hoje, o comentário do Eduardo Ribeiro conseguiu me surpreender muito… “Os brutos também amam”…rs.

  2. Jéssica, o amor platônico da Inez está descrito nos poemas Amor platônico e Segredos…que não é mais segredo.
    Não creio que ainda seja esse do RJ, ele não merece tanto amor assim. Acho que a Inez já superou e partiu para outro.
    Homem que faz uma mulher sofrer não merece o amor de mulher, esses caras aproveitadores estão condenados a morrer na solidão…

  3. “É preciso encostar teus lábios em meus lábios para ouvir. Palavras são o meu jeito mais secreto de calar”.
    Porque vocês não fazem isto? Chegam na pessoa idealizada e diga que estão sentindo. O máximo que vão ouvir é um não, mas e daí, a vida não vai acabar. Fernanda, Eduardo e Inez vão a luta. Vou aproveitar e dizer o mesmo pro Abelson, que a exemplo da Ana Lúcia vou dizer vc precisa de amor e logo.
    Aproveito o espaço para perguntar Ana quem é o amor platônico da Inezquecível? Que eu saiba ela morre por um cara do Rio de Janeiro, mas se alguém já o substituiu isto é muito bom.
    Bjs a todos
    Sorte e Paz
    E que o Blog venha com mais força todos os dias.

  4. Acho meu amigo Euler que não precisamos de muito. Mas eu também não preciso de um amor, porque não acredito. Só escrevo o que me pedem. Atendo a pedidos. Sozinha estou, sozinha ficarei e feliz

  5. Não precisamos de mais dinheiro,não precisamos de mais sucesso ou fama,não precisamos do corpo perfeito,nem mesmo do parceiro perfeito,agora mesmo,neste momento exato,dispomos da mente,que é todo o equipamento básico de que precisamos para alcançar a plena felicidade. O gozo material é substituído pelo imenso prazer em se ter um amor moldado, perfeito. Ama-se a foto. Ama-se um nome.
    Seria nosso amor por Deus um amor platônico, no sentido de desligado de interesses
    ou gozos materiais?

  6. Fiquei pensando escrevo ou não escrevo, aqui estou…o poema é lindo e Inezquecível como sempre surpreendendo com suas poesias e sua imaginação que só ela é capaz com sua incredulidade.
    Inez o poema ficou lindo e descreveu detalhadamente a pessoa…se ele tivesse um pouquinho de sensibilidade saberia que é para ele, ainda mais com os detalhes sórdidos que você colocou.
    Amiga, ele não merece é um insensível…esse negócio de amor platônico não funciona…temos que ter amores reais, e amar pessoas que merecem ser amadas.
    Nem preciso escrever muito você sabe minha opinião.
    Bjs

  7. O pior da vida é amar e nao ser correspondido!
    Quem ama gosta que essa pessoa o ame tambem.
    Mas a realidade é diferente.
    Parabéns Inez expressou com desenvoltura o que sinto atualmente

  8. Inez gostei, você esta se aventurando em novos estilos, e acho que é este amor platônico que está fazendo isto com você. Te dando novos rumos, deixando de ser a incrédula que todos propagam.
    Beijo grande “poesia”…
    Arnaldo

  9. Caramba, conseguiu expressar com as palavras certas o que pensei quando pedi pra vc falar sobre isso ontem… Eh exatamente isso que eu to sentindo. Vou imprimir e guardar comigo. Parabens!

  10. Estou apaixonado, apaixonado pelas letras, pela vida, pela existencia e por você, que a cada dia consegue surpreender seus leitores com estes belos textos.
    É um amor platônico, mas é gostoso de sentir…
    Parabéns Inez

  11. Não concordo totalmente com a idéia do amor platônico existir, ou melhor, talvez exista, mas não é pra sempre, é apenas uma fragilidade que se mostra em determinados momentos de nossa vida, principalmente quando ainda não somos “calejados” com relação a relacionamentos com o sexo oposto e não somos correspondidos…. Mas com o tempo e o devido “calejamento” esse sofrimento aparece cada vez menos e mais brandamente!! Ainda bem!!
    Parabéns Inez

  12. ADOREI! SO FALTOU COLOCAR QUE O RELOGIO DELE ERA LINDO! PQ AI ERA TUDO Q EU SINTO

  13. Adorei o poema! Parabéns amiga! Tudo haver com a nossa amiga Fernanda mesmo!

  14. Oi talvez seu poema seja um achado e tanto entre tantos bons aqui, mas este especialmente me agradou por ter me indentificado com o estilo, o platonismo, o amor impossivel ou a simples lembrança não vivida, está muito bom. Fica com Deus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s